Tumbérgia-azul

Uma vez ao ano é preciso podar as plantas que formam uma cerca viva no entorno da minha casa. Só que essa não é uma tarefa fácil, necessita de tempo, esforço e também coragem. Assim como muitas coisas em nossas vidas.






A Tumbérgia-azul é uma espécie de trepadeira que cresce rápido e floresce o ano todo, mas na primavera suas flores são magníficas e atraem todo tipo de insetos e beija-flores. No verão, porém, ela toma uma proporção quase que incontrolável. Fica volumosa, pesada e suas flores já não se sobressaem. É sempre no auge do verão, quando seus ramos crescem extraordinariamente que eu faço uma transformação.

Para quem viu a planta crescer demoradamente durante anos, parece loucura cortar quase que totalmente as folhas e muitos dos seus ramos. Eu também tive medo de cortar na primeira vez, mas foi um mal necessário. A primeira vez que tive que podá-la assim, fiquei muito incomodada, até chorei, pois achei que ela não resistiria. Meu vizinho cortou todas as folhas e ramos do seu lado da cerca e no dia seguinte o meu lado simplesmente desabou e eu fui obrigada a cortar tudo. Foi muito difícil, pois quanto mais eu tentava corrigir, mais precisava cortar para endireitar os ramos que caíam e não se sustentavam na cerca.

Agora eu percebi que aquilo não foi tão ruim, pois quando cortei todo o volume e deixei apenas os ramos mais velhos, que estavam firmemente fixados na cerca, a planta cresceu ainda mais bonita e vigorosa. Claro que fiquei preocupada e reguei-a todos os dias com cuidado, para garantir que ela se restabeleceria. Então esse ano vi a minha cerca volumosa, com aspecto pesado e muitas folhas mortas escondidas sob os novos ramos, que cresciam abundantes em várias direções. Percebi que tinha chegado a hora de mudar novamente.

Primeiro cortei todo o volume, tirei muitas folhas e ramos, alguns deles verdejantes, mas que não seguiam a direção correta. Tive pena de cortar brotos tão sadios, mas sabia que era necessário para manter o crescimento no caminho certo. Depois cortei alguns ramos antigos, que já não estavam tão firmes na cerca e que não eram mais necessários, pois outros haviam crescido no lugar. Por fim, com cuidado, tirei todas as folhas secas e ramos sem vida, que estavam escondidos embaixo de todas aquelas folhas novas que foram cortadas, que não se viam antes, mas estavam ali impedidos de cair no chão.

Quando terminei todo o serviço, depois de alguns dias de trabalho, admirei a cerca confiante de que tudo correria bem, afinal, eu já havia feito isso antes, mas dessa vez mudei por opção, não por necessidade. Mesmo assim várias pessoas tentaram me impedir, dizendo: "Não mexa na planta, ela está linda assim'. Ou ainda "Se cada vez você podar dessa maneira, ela nunca chegará a cobrir toda a cerca".

Então percebi como podar uma planta tem tanto a ensinar sobre nossas próprias vidas:

1) Sempre vai ser difícil mudar drasticamente, especialmente quando estamos no auge. Quando por fora parece que está tudo bem, mas lá dentro sentimos que muitas coisas precisam ser jogadas fora, talvez seja um mal necessário.

2) A decisão de mudar é só sua, mais ninguém poderá assumir esse risco. Talvez você precise encarar as pessoas que mais ama e dizer: eu vou seguir em frente, querendo você ou não. Talvez outra pessoa precise começar essa mudança por você.

3) Mesmo sem querer, precisamos cortar também os ramos verdejantes, cheios de vida, mas que não estão seguindo na direção certa.

4) De nada importa se você está cobrindo toda a cerca (ou seu tempo, sua vida), se você está sobrecarregado e não se sente leve e feliz.

5) É preciso cortar também ramos antigos, que não estão garantindo o seu bem-estar ou que já foram substituídos por outros mais saudáveis.

6) Seja meticuloso e pare de vez em quando para tirar as folhas secas e os ramos mortos que estão lá no fundo, escondidos dos olhos de todo mundo, inclusive dos seus.

7) Por mais que você corte as folhas, os ramos verdejantes e os antigos que não servem mais, ainda vão restar os ramos firmes, que sustentam a planta e mostrarão a direção a seguir.

8) Lembre-se: você pode cortar tudo, menos as raízes, essas precisam ser regadas e adubadas sempre. São elas que mantêm a planta viva e permitirão que ela cresça ainda mais.

9) Admire o resultado pensando no futuro e não apenas no presente. As vezes precisamos abrir mão de algumas flores para que nossa vida floresça de verdade.

10) Por fim, pegue tudo o que você descartou depois dessa grande limpeza e transforme em adubo, para nutrir a planta por mais um longo ano que está por vir. Com certeza na primavera sua planta (ou sua vida) estará mais forte e saudável do que nunca, crescendo vigorosamente para o caminho certo, aquele que você escolheu.

Comentários

Postagens mais visitadas